Suplico-Te, ó meu Deus, pelo Teu grande Sinal, e pela revelação da Tua graça entre os homens, que não me expulses dos portais da cidade da Tua presença, e não frustres as esperanças que depus nos manifestantes da Tua graça em meio às Tuas criaturas. Vês-me, ó meu Deus, apoiando-me no Teu Nome, o Mais Sagrado, o Mais Luminoso, o Potentíssimo, o Supremo, o Sublime, o Mais Glorioso, e segurando-me à orla das vestes à qual se seguraram todos deste mundo e do vindouro.

Suplico-Te, ó meu Deus, pela Tua dulcíssima Voz e pela Tua mais sublime Palavra, que me aproximes, cada vez mais, do limiar da Tua porta, e não permitas que eu me retire para longe da sombra da Tua mercê e do pálio da Tua generosidade. Vês-me, ó meu Deus, apoiando-me no Teu Nome, o Mais Sagrado, o Mais Luminoso, o Potentíssimo, o Supremo, o Sublime, o Mais Glorioso, e segurando-me à orla das vestes à qual se seguraram todos deste mundo e do vindouro.

Suplico-Te, ó meu Deus, pelo esplendor da Tua fronte luminosa e pelo brilho da luz do Teu semblante, irradiando-se do horizonte supremo, que me atraias pela fragrância das Tuas vestes e me faças sorver do vinho puro das Tuas palavras. Vês-me, ó meu Deus, apoiando-me no Teu Nome, o Mais Sagrado, o Mais Luminoso, o Potentíssimo, o Supremo, o Sublime, o Mais Glorioso, e segurando-me à orla das vestes à qual se seguraram todos deste mundo e do vindouro.

Suplico-Te, ó meu Deus, pelos Teus cabelos, que se movem sobre a Tua face, à medida que a Tua mais excelsa pena se move sobre as páginas das Tuas Epístolas, espargindo o almíscar dos significados ocultos sobre o reino da Tua criação - que me faças levantar em serviço à Tua Causa, de tal modo que eu não recue, nem seja impedido pelas sugestões dos que desprezaram os Teus sinais e se voltaram para longe da Tua face. Vês-me, ó meu Deus, apoiando-me no Teu Nome, o Mais Sagrado, o Mais Luminoso, o Potentíssimo, o Supremo, o Sublime, o Mais Glorioso, e segurando-me à orla das vestes à qual se seguraram todos deste mundo e do vindouro.

Suplico-Te, ó meu Deus, pelo Teu Nome, o qual fizeste o Rei dos Nomes e a causa de êxtase a todos no céu e na terra, que me faças contemplar o Sol da Tua Beleza, e me concedas o vinho das Tuas palavras. Vês-me, ó meu Deus, apoiando-me no Teu Nome, o Mais Sagrado, o Mais Luminoso, o Potentíssimo, o Supremo, o Sublime, o Mais Glorioso, e segurando-me à orla das vestes à qual se seguraram todos deste mundo e do vindouro.

Suplico-Te, ó meu Deus, pelo Tabernáculo da Tua majestade nos cumes mais elevados, e pelo Pálio da Tua Revelação sobre as mais altas colinas, que me ajudes, pela Tua graça, a fazer o que foi manifestado pela Tua vontade e revelado pelo Teu desígnio. Vês-me, ó meu Deus, apoiando-me no Teu Nome, o Mais Sagrado, o Mais Luminoso, o Potentíssimo, o Supremo, o Sublime, o Mais Glorioso, e segurando-me à orla das vestes à qual se seguraram todos deste mundo e do vindouro.

Suplico-Te, ó meu Deus, pela Tua Beleza que reluz sobre o horizonte da eternidade - uma Beleza diante da qual, logo que se revela, o reino da beleza se curva em adoração, glorificando-a em tons vibrantes - suplico-Te que me faças morrer para tudo o que eu possuo e viver para tudo o que a Ti pertence. Vês-me, ó meu Deus, apoiando-me no Teu Nome, o Mais Sagrado, o Mais Luminoso, o Potentíssimo, o Supremo, o Sublime, o Mais Glorioso, e segurando-me à orla das vestes à qual se seguraram todos deste mundo e do vindouro.

Suplico-Te, ó meu Deus, pelo Manifestante do Teu Nome, o Bem-Amado, através de Quem se consumiram os corações dos que Te amam, e as almas de todos os que habitam a terra se elevaram às alturas, que me ajudes a mencionar–Te em meio às Tuas criaturas e elogiar-Te entre os Teus povos. Vês-me, ó meu Deus, apoiando-me no Teu Nome, o Mais Sagrado, o Mais Luminoso, o Potentíssimo, o Supremo, o Sublime, o Mais Glorioso, e segurando-me à orla das vestes à qual se seguraram todos deste mundo e do vindouro.

Suplico-Te, ó meu Deus, pelo farfalhar da Árvore Divina e pelo murmúrio das brisas das Tuas palavras no reino dos Teus nomes, que me afastes para longe de tudo o que Tua vontade repele, e me faças aproximar daquela condição onde irradia Aquele que é o Alvorecer dos Teus sinais. Vês-me, ó meu Deus, apoiando-me no Teu Nome, o Mais Sagrado, o Mais Luminoso, o Potentíssimo, o Supremo, o Sublime, o Mais Glorioso, e segurando-me à orla das vestes à qual se seguraram todos deste mundo e do vindouro.

Suplico-Te, ó meu Deus, por aquela Letra que, ao proceder dos lábios da Tua vontade, fez encapelarem-se os oceanos e soprarem os ventos, em virtude da qual as árvores brotaram, os frutos se revelaram, todos os traços passados se desvaneceram, todos os véus se romperam e os Teus devotos se apressaram à luz do semblante do seu Senhor, o Independente - suplico que me reveles o que jazia oculto nos relicários do Teu conhecimento e escondido nos santuários da Tua sabedoria.

Vês-me, ó meu Deus, apoiando-me no Teu Nome, o Mais Sagrado, o Mais Luminoso, o Potentíssimo, o Supremo, o Sublime, o Mais Glorioso, e segurando-me à orla das vestes à qual se seguraram todos deste mundo e do vindouro.

Suplico-Te, ó meu Deus, pelo fogo do Teu amor que, afugentou o sono dos olhos dos Teus eleitos e dos Teus amados, e pela sua lembrança e pelo seu louvor de Ti na hora do alvorecer, que me incluas no número dos que atingiram aquilo que revelaste no Teu Livro e manifestaste pela Tua vontade. Vês-me, ó meu Deus, apoiando-me no Teu Nome, o Mais Sagrado, o Mais Luminoso, o Potentíssimo, o Supremo, o Sublime, o Mais Glorioso, e segurando-me à orla das vestes à qual se seguraram todos deste mundo e do vindouro.

Suplico-Te, ó meu Deus, pela luz do Teu semblante, que impeliu aqueles próximos de Ti a enfrentarem os dardos do Teu decreto, e os Teus devotos a fazerem face às espadas dos Teus inimigos, no Teu caminho, que escrevas para mim com a Tua excelsa Pena, o que escreveste para os Teus fiéis e os Teus eleitos. Vês-me, ó meu Deus, apoiando-me no Teu Nome, o Mais Sagrado, o Mais Luminoso, o Potentíssimo, o Supremo, o Sublime, o Mais Glorioso, e segurando-me à orla das vestes à qual se seguraram todos deste mundo e do vindouro.

Suplico-Te, ó meu Deus, pelo Teu Nome, através do qual escutaste o apelo dos que Te amam, os suspiros dos que por Ti anseiam, a exclamação daqueles favorecidos com a Tua proximidade e os gemidos dos Teus devotos, e através do qual satisfizeste os desejos dos que em Ti depositaram as esperanças e, pela Tua graça e pelo Teu favor, lhes concedeste sua realização; e pelo Teu Nome, através do qual o oceano do Teu perdão surgiu diante da Tua face, e sobre os Teus servos choveram as graças das nuvens da Tua generosidade – decreta, eu Te suplico, para cada um que a Ti se volve e observa o jejum por Ti prescrito, a recompensa destinada aos que só falam pela Tua permissão, e que renunciaram a tudo o que possuíam, por amor a Ti e no Teu caminho.

Suplico-Te, ó meu Senhor, por Ti mesmo, e pelos Teus sinais e pelas Tuas provas claras, pela luz brilhante do Sol da Tua Beleza, e pelos Teus Ramos, que anules os pecados dos que se seguraram às Tuas leis e observaram o que lhes prescreveste no Teu Livro. Vês-me, ó meu Deus, apoiando-me no Teu Nome, o Mais Sagrado, o Mais Luminoso, o Potentíssimo, o Supremo, o Sublime, o Mais Glorioso, e segurando-me à orla das vestes à qual se seguraram todos deste mundo e do vindouro.

Bahá’u’lláh

App icon
Bahá’í Prayers
Get the app
font
size
a
theme
Day
Night
font
Sans
Serif
contact us
translations
App icon
Bahá’í Prayers
Get the app